A vida de Nicolau Maquiavel

Nicolau Maquiavel foi um poeta, historiador, diplomata e músico italiano durante o Renascimento. Saiba mais sobre sua vida.

A vida de Nicolau Maquiavel

Em de maio de 1469, na renascentista Florença, nasceu Niccolò Machiavelli. Com dificuldades familiares, Maquiavel cresceu sendo instruído por tutores letrados e tendo como principal atividade a leitura dos clássicos da biblioteca de seu pai, tornando-se um autodidata no assunto.

                       

A Florença do século 15 e 16 foi considerada um dos lugares de maior atividade intelectual e de negócios. Durante reuniões de jovens humanitistas na Piazza dela Signoria, Maquiavel, privilegiado por uma inteligência nata e ávida, passou a chamar a atenção pelo seu discurso irônico e crítico sobre o clero. A cidade era fugaz: Maquiavel observou a arte de fazer política e desenvolveu sua teoria sobre ela em um ambiente rico, que atraía talentos privilegiados: Michelangelo, Rafael, Botticelli e da Vinci, por exemplo. Por outro lado, a riqueza também foi estopim para traições, conspirações e governos radicais que foram vistos por Maquiavel.

Tornou-se encarregado de dos negócios exteriores da cidade com 29 anos. Em pouco tempo já era secretário da comissão de assuntos militares e ganhou a confiança e caráter de importância do governante de Florença. Já casado, Maquiavel tem seu primeiro desafio: Cesar Borgia, o filho do papa estava usando o exército católico e tropas francesas para inaugurar um novo principado na Itália e logo, passou a ameaçar Florença. Enviado para duas missões ao quartel general de Bórgia, Maquiavel teve a experiência que deu origem ao brilhante “O Príncipe”: observou o oportunismo de um governante e concluiu que uma ciência política deve ser independente de qualquer consideração moral, em esferas opostas.

Lançado em 1513, “O Príncipe” é um marco da teoria política e eternizou Maquiavel nos livros de história e literatura. Destina-se a um governante e o aconselha sobre como manter seu governo inabalável. O volume mostrava como funciona a ciência política. Discorre sobre os diferentes tipos de Estado e ensina como um príncipe pode conquistar e manter o domínio sobre um ele.

Ao tratar sem eufemismos e reduções sobre como um governante deveria agir, ele acabou com uma má fama e maquiavélico foi associado a ações negativas. Entretanto, o que o crítico desenvolveu foi uma teoria política realista que escancarou uma desagradável característica do ser humano: “É necessário para quem quer que estabeleça um Estado e institua suas leis pressupor que todas as pessoas são más e que sempre agirão segundo a fraqueza de seus espíritos quando tiverem chance”. (Trecho de O Príncipe)

Nenhum voto, seja o primeiro



Jessica
20/05/09


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook