Biossegurança e segurança do trabalho

A segurança é um ponto que precisa de muita atenção por onde você vai. No trabalho não é diferente e atenção é redobrada.

A biossegurança se faz necessária e obrigatória em todo e qualquer trabalho, a qual é um conjunto de estudos e procedimentos que tem como finalidade controlar e evitar os riscos gerados pela utilização de agentes físicos, de agentes químicos e de agentes biológicos. São atos e equipamentos que o profissional utiliza para evitar e prevenir acidentes como riscos biológicos, infecção a microorganismos, práticas ergonômicas, e outros. Na medicina veterinária, por exemplo, no exercício desta profissão há algumas condições que oferecem riscos ocupacionais ao médico veterinário e a toda sua equipe, seja em clínicas, em hospitais ou à campo, como:

-Riscos químicos: Apresentam efeitos adversos devido ao seu potencial alérgico, tóxico e irritante, como por exemplo, fungicidas, cremes e outros.
-Riscos físicos: Podem ser ruídos, radiação, não-ionizante e outros, como o profissional que trabalha o dia todo o com o soprador, o que é necessário utilizar um protetor de ouvido para evitar a perda de audição.
-Riscos biológicos: Este é o mais importante, e que consequentemente necessita de maior atenção, pois está relacionado com a grande diversidade de microorganismos presentes em secreções, sangue, secreções orais e orofaríngeas, na pele e no pelo. Estes, sem dúvida, apresentam maior risco ocupacional para a profissão.
-Riscos ergonômicos: Este risco está relacionado também com a postura do trabalhador, isto é, cadeiras, mesas e outros elementos inadequados.

Assim, não pode se esquecer dos EPIs (Equipamento Profissional Individual), os quais são capacete, avental, luvas, gorro, botas, óculos protetores e outros. Além dos, EPC (Equipamento Profissional Coletivo), como brete, extintor de incêndio, cambão e entre outros. Quando ocorre o desequilíbrio entre a capacidade dos microorganismos de invadir, de se multiplicar e de se disseminar nos tecidos dos hospedeiros é necessário que ocorram os seguintes eventos:

-Confronto: Agente infectante contra o hospedeiro;
-Entrada: Meio de entrada ao organismo do hospedeiro, como pele;
-Disseminação: Propagação do agente infeccioso;
-Multiplicação: Se multiplica no hospedeiro;
Lesão: É causado o dano tecidual;
Resultado: Vitória do agente infeccioso ou do hospedeiro, ou ambos aprendem a coexistir;

No ambiente veterinário, por exemplo, existe uma grande diversidade de microorganismo veiculados a partir de secreção, sangue, pele, saliva e outros meios. Quanto maior é o número de pacientes, quanto maior a manipulação de sangue, de instrumentos cirúrgicos, de seringas, de ultrassom, de equipamentos de proteção, maior será a contaminação gerada. Esta contaminação pode atingir além da equipe veterinária, mas também outros funcionários e pacientes.

Quando ocorre a transmissão de microorganismos, estas podem acontecer em seu habitat natural ou em locais em que possam sobreviver e se multiplicar, sendo que os tipos de fontes são diversos, tanto humana quanto animal, e também ambiental.

Nenhum voto, seja o primeiro


Maikon
27/11/10


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook