Dicas sobre como abrir uma conta poupança

Verifique no banco quais são os documentos necessários para abrir uma poupança, não se esqueça de levar os documentos originais.

Dicas sobre como abrir uma conta poupança

Conta poupança é um dos serviços bancários mais tradicionais, populares e conservadores do país. O investimento está em vigor por mais de 140 anos e é um dos mais acessíveis, sendo disponibilizado para todas as classes sociais. Com muito ou pouco dinheiro é possível que se abra uma conta.
È por meio dos bancos que você passa a ater uma conta poupança e é normal que o serviço seja oferecido junto à abertura de uma conta corrente. Porém, mesmo quem não seja correntista pode usufruir do serviço. Comparecendo a uma agência bancária munidos dos documentos CPF, RG, Comprovantes de Renda e Residência já é possível dar início à abertura da conta. Menores de 18 anos também podem abrir uma caderneta, mas deve estar acompanhado de um maior, que será o responsável pelas aplicações. Algumas regras e procedimentos mudam de acordo com as agências, por isso, indicamos que o banco em que deseja abrir a conta seja procurado e que se verifique a listagem obrigatória de documentos. Também é importante que o contrato de abertura seja lido e entendido minuciosamente antes de ser assinado e que você tenha conhecimento sobre taxas, juros e oscilações.

Mais sobre Dicas sobre como abrir uma conta poupança

Especialistas financeiros garantes que para descobrir qual é o valor que deve compreender esse fundo de investimentos, é necessário que o titular desta conta tenha em mente três colocações: quais são os seus gastos fixos, o seu orçamento e quais serão as suas necessidades futuras. A maioria dos especialistas indica que um fundo de emergências bem equilibrado deve representar de três a seis meses as despensas da família.
Uma das maneiras mais indicadas para maiores aplicações é a economia em gastos desnecessário. A maioria das pessoas não sabe exatamente onde acabou sendo conferido o dinheiro além do que foi gasto com as despesas físicas, como a hipoteca e as escolas das crianças, por exemplo. Em não nos atentarmos para estes gastos estamos sendo desonestos e covardes com nós próprios. Fazer uma lista de supérfluos ajuda a estancar os gastos. Na maioria das vezes gastamos parte do nosso orçamento com coisas nas quais não deveríamos empenhar valores .

Veja mais sobre banco

29/05/09 por Jessica

   



Mais informações por email

Comentar