O caminho do ar no sistema respiratório

O sistema respiratório humano é composto por um par de pulmões e por outros órgãos que levam o ar para o interior e exterior das cavidades pulmonares, os quais são: fossas nasais, boca, faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos, alvéolos pulmonares, sendo os três últimos localizados nos pulmões. O ar inicia o seu caminho através das fossas nasais, as quais são duas cavidades paralelas que começa nas narinas e tem o seu fim na faringe, são separadas por uma parede cartilaginosa chamada de septo nasal. Em seu interior existem outras cavidades denominadas de cornetos nasais, que tem a finalidade de fazer com que o ar passe pelos turbilhoes, as denominadas conchas nasais, que são revestidas por células produtoras de muco e células ciliadas, que por sua vez tem a função de umedecer, filtrar e aquecer o ar, preparando-o para a troca gasosa ou hematose. É no teto das fossas nasais que se localizam as células sensoriais responsáveis pelo sentido do olfato.

Das fossas nasais, o ar segue seu caminho para a faringe, o qual é um órgão com forma de um canal presente tanto no sistema respiratório quanto no digestório, e se comunica com a boca e as fossas nasais. O ar inspirado pelas narinas ou pela boca necessariamente passa pela faringe antes de chegar à laringe. Já a laringe é um tubo que é sustentado por peças de cartilagem articuladas encontrada na região superior do pescoço, sendo assim a continuação da faringe. A saliência denominada de pomo-de-adão ou mais conhecida como gogó que aparece no pescoço, faz parte de uma das peças cartilaginosas da laringe. A glote (entrada da laringe) possui uma espécie de lingüeta de cartilagem, chamada de epiglote, que tem a função de uma válvula, sendo que durante a ingestão de alimentos a laringe sobre e fecha a sua entrada através da epiglote, isso faz com que seja evitada a entrada de alimentos nas vias respiratórias. É durante a passagem de ar na laringe que é possível realizar a emissão de sons, ou melhor, é devido a presença das pregas vocais.

Após passar pela laringe, o ar segue caminho pela traquéia, a qual é um tubo composto por anéis de cartilagem com diâmetro de aproximadamente 1,5 centímetros por 10 a 12 centímetros de comprimento. Em sua região inferior há uma bifurcação, ou seja, separa-se em dois ramos, originando-se nos brônquios, os quais se penetram nos pulmões. O seu epitélio de revestimento é muco-ciliar e tem a função de aderir às partículas de poeira e as bactérias presentes no ar que são expelidas para fora posteriormente. Neste ponto, o ar chega aos pulmões, os quais são órgãos esponjosos com 25 centímetros aproximadamente, envolvidos por uma membrana serosa chama de pleura. Nos pulmões, os brônquios se ramificam e dão origem a tubos cada vez mais finos, os denominados bronquíolos, e todo este conjunto de ramificação de bronquíolos são denominados de árvore respiratória. Cada bronquíolo termina em pequenas bolsas formadas por células epiteliais achatadas que são recobertas por capilares sanguíneos, isto é, pelos alvéolos pulmonares.

Outro órgão de grande importância para o sistema respiratório é o diafragma, onde a base de cada pulmão se apóia no diafragma, o qual é um órgão músculo-membranoso que separa o tórax do abdômen, realizando juntamente com os músculos intercostais os movimentos respiratórios. O diafragma está presente apenas em mamíferos, e se localiza acima do estomago, e seus movimentos são controlados pelo nervo frênico.

6 votos


Maikon
26/02/11


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook
  1. preciso de saber trajecto do ar

    filipa
    13/03/14 às 12:57 pm