Principais ácidos do cotidiano

De acordo com Arrhenius (1887), ácido é toda substância que em solução aquosa realiza a liberação única e exclusivamente de íons H+. Desta forma, segue os principais ácidos e suas aplicações:

-Ácido Fluorídrico (HF): É venenoso e possui concentração máxima permitida de 2 mg/m3 de ar. Possui peculiaridade de corroer o vidro, desta forma, deve ser armazenado em frascos de polietileno, sendo um ácido utilizado para a realização de gravações em cristais e vidros, como por exemplo, a numeração existente na parte inferior dos vidros dos carros, o qual é gravado com o auxílio deste ácido. As suas classificações químicas, são: hidrácido, monoácido, volátil e semi-forte (α =8,5%).

-Ácido Clorídrico (HCl): Foi descoberto no século XV e sua produção industrial se iniciou na Inglaterra. O ácido Clorídrico puro (cloridreto) é um gás incolor, super tóxico, não inflamável e corrosivo. Sua solução aquosa é chamada de ácido clorídrico, o qual pode ser vendido comercialmente com o nome de ácido muriático, sendo impuro, e utilizado para a limpeza de pisos e de peças metálicas antes de soldagens, como por exemplo, em construções civis, onde é usado para remover respingos de cal em azulejos e pisos. Além disso, é utilizado na indústria e em laboratórios,e ainda se faz presente em nosso próprio corpo, no suco gástrico, para auxiliar na digestão. As suas classificações químicas, são: hidrácido, volátil monoácido e forte (α = 92,5%).

-Ácido Sulfídrico (H2S): É um ácido altamente tóxico e inflamável, sendo fortemente irritante para as mucosas. A sua concentração letal é de 2 mg/L de ar. O H2S é composto na decomposição de materiais orgânicos que possuem enxofre. Possui odor bastante desagradável, o qual se assemelha com o odor de ovo podre. É utilizado como redutor e em reações de precipitação. Suas classificações químicas, são: hidrácido, diácido, volátil e fraco (α = 0,076%).

-Ácido Cianídrico (HCN): É um ácido extremamente tóxico, pois age sobre a hemoglobina do sangue, sendo assim um gás de ação venenosa mais veloz, o qual é conhecido com uma concentração de 0,3 mg/L de ar, instantaneamente letal. É utilizado em câmaras de gás para execução de pessoas condenadas à pena de morte por tal método, sendo que por curiosidade, a primeira vítima foi seu descobridor, Carl Wilhelm Scheele, que deixou cair um vidro contendo a solução. É utilizado também na fabricação de plásticos, cianetos, corantes e outros produtos do gênero. O ácido cianídrico ser conservado fora do contato com a luz, mesmo difusa, pois pode causar a sua explosão. É vendido comercialmente com o nome de ácido prússico. Suas classificações químicas, são: hidrácido, monoácido, volátil e fraco (α = 0,008%).

-Ácido Carbônico (H2CO3): É um dos componentes das bebidas gaseificadas, sendo altamente instável, gerando água e gás carbônico, com os quais cria-se um equilíbrio dinâmico, formando CO2 + H2O → H2CO3. Quando se combina com a água da chuva, o gás carbônico origina-se no ácido carbônico, independentemente de poluição, o que faz com que concluamos que toda chuva é acida. Suas classificações químicas, são: oxiácido, diácido, volátil e fraco (α = 0,18%).

-Ácido Fosfórico (H3PO4): É um sólido incolor contendo Ponto de Fusão (PF) de 42ºC. É encontrado comumente no comércio na forma de um líquido viscoso, ou seja, em solução aquosa a 85%. É utilizado na fabricação de fertilizantes (superfosfatos e fosfatos), nas indústrias de vidro e tinturaria, por exemplo. Além disso, também é empregado como acidulante em refrigerantes, principalmente os de sabor Cola. Suas classificações químicas são: oxiácido, triácido, fixo e semi- forte (α = 27%).

-Ácido Sulfúrico (H2SO4): Já se faz presente e conhecido pelos alquimistas do século X, o qual foi inserido na Europa somente no século XV, recebendo o nome de vitríolo. É incolor, relativamente denso (1,84 g/mL), oleoso, tem a capacidade de carbonizar açucares, é corrosivo e com grande poder desidratante somente quando concentrado, podendo causar queimaduras na pele e ‘furos’ em determinados tecidos. A sua maior utilização é na produção defertilizantes, mas também é utilizado em baterias ou acumuladores de automóveis, na indústria petroquímica, na fabricação de corantes e papel. Quando concentrado, é um ácido oxidante, e higroscópico, tendo a capacidade de absorver água da atmosfera. Sua dissolução em água é altamente exotérmica, sendo assim responsável por um tipo de chuva ácida, típico de ambientes poluídos. Suas classificações químicas, são: oxiácido, diácido, fixo e forte (α = 61%).

-Ácido Nítrico (HNO3): É um líquido corrosivo, incolor e muito volátil, que desprende vapores muito tóxico. Ficando apenas atrás do ácido sulfúrico, o ácido nítrico é o mais fabricado e consumido na indústria, sendo mais utilizado na fabricação de explosivos, além de ser importante na produção de fertilizantes agrícolas, corantes, sínteses orgânicas e muitos outros. É possível encontrá-lo concentrado ou diluído, apesar de ser um ácido oxidante. O HNO3 é responsável por outro tipo de chuva ácida, a qual é também típica de ambientes poluídos, mesmo que possa se formar ao longo da ocorrência de chuvas acompanhadas de relâmpagos em ambientes não-poluídos. Antigamente era conhecido entre os alquimistas como água forte, e é um dos ácidos mais fabricados e consumidos pela indústria. Suas classificações químicas, são: oxiácido, monoácido, volátil e forte (α = 92%).

-Ácido Acético (CH3COOH) – Orgânico: É um líquido incolor, de cheiro peculiar e penetrante, solúvel em água em qualquer proporção. Na atualidade é utilizado principalmente como condimento culinário, ou seja, no vinagre, sendo uma solução aquosa de ácido acético a ± 4%. Suas classificações químicas, são: orgânico, monoácido, volátil e fraco (α = 1,3%).

1 voto



Maikon
27/09/10


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook