Alimentos que combate a depressão

A depressão pode ser considerada o mal do século e precisa ser tratada, pois é um problema sério. A alimentação também influencia.

A depressão é uma enfermidade que pode ter como vítimas crianças, adultos, idosos, mulheres e homens, ou seja, tanto homem quanto mulher podem sofrer com a depressão em todo o mundo. A pessoa que se encontra no estado depressivo geralmente se sente sem energia, sem interesse algum, desanimada e sem vontade para fazer as atividades mais comuns do dia-a-dia, além de provocar sintomas físicos, como dor de estômago e dor de cabeça. De acordo com alguns especialistas, o cérebro humano realiza a produção de substâncias que são denominadas de neurotransmissores que tem a capacidade de controlar as diferentes funções cerebrais, e um destes neurotransmissores é a serotonina, a qual é responsável por proporcionar ao cérebro a sensação de bem-estar, de regular o humor e de proporcionar a sensação de saciedade.

Assim, uma boa alimentação é essencial para a produção de serotonina, o que consequentemente melhorará o bom humor e no combate a depressão. É válido ressaltar que a alimentação saudável e equilibrada não substitui o tratamento da depressão, ou seja, a boa alimentação deve ser unida a intervenção terapêutica e medicamentosa. Mas para que a serotonina proporcione benefícios para a pessoa que sofre com depressão é preciso que determinados alimentos passem a fazer parte de sua rotina diária de alimentação, por este motivo, veja logo abaixo quais são estes alimentos, quais são os alimentos que combate a depressão:

-Frutas: Diversas frutas ajudam a pessoa com depressão, como a mexerica, a banana, o mamão, o abacate, a melancia e o limão, sendo estas frutas fonte de triptofano, um aminoácido que auxilia na produção de serotonina. Desta forma, a ingestão destas frutas é indicada entre 3 a 5 porções diárias.
-Maçã e laranja: Estas duas frutas ganham maior destaque em relação às outras por conter ácido fólico, substância que possui relação com menor prevalência dos sintomas da depressão. Além disso, contam com maior quantidade de vitamina C que ajuda no funcionamento do sistema nervoso, ajuda no combate do estresse, garante energia e evite a fadiga.
-Castanha-do-Pará, amêndoas e nozes: Estes alimentos são fonte de selênio, um poderoso agente antioxidante, o qual auxilia na redução do estresse e nos sintomas da depressão. De acordo com especialistas, a quantidade diária recomendada é de 2 a 3 unidades de castanhas-do-Pará ou cinco unidade de nozes ou de 10 a 12 unidades de amêndoas. No entanto, saiba que dá para fazer um mix destas oleaginosas.
-Iogurte e leite desnatado: São ótimas fontes de cálcio e mineral, sendo este último responsável por eliminar a tensão, enquanto o cálcio fica responsável pela diminuição e controle da irritabilidade e do nervosismo, participando das contrações musculares, na transmissão de impulsos nervosos, na contração dos batimentos cardíacos e na regularização da pressão arterial.
-Banana e abacate: A banana é uma fruta fonte de carboidrato, magnésio e potássio, além de vitamina B6, a qual é responsável pela produção de energia. Já o abacate é uma fruta é outra opção, sendo que o indicado é consumir aproximadamente 2 colheres de chá da polpa de abacate sem adição de açúcar ou adoçante antes de se deitar.
-Carnes magras e peixes: São fontes de proteínas e contam com tripofano, substância que auxilia no combate da depressão, que ajuda na melhora do humor, que tem a capacidade de diminuir a sensação de dor, que reduz o apetite, que cria a sensação de prazer e bem estar, que induz o sono e que relaxa.
-Mel: Este alimento é um ótimo estimulante de serotonina, assim saiba que 2 colheres de sobremesa por dia é a quantidade suficiente.
-Centeio e aveia: Ambos são fonte de vitaminas do complexo B e vitamina E, tendo a capacidade de combater a depressão e ansiedade, sendo assim recomendado a ingestão de 3 colheres de sopa bem cheia por dia.
-Ovos: É rico em niacina e tiamina, vitaminas do complexo B que auxiliam no bom humor. É recomendada a ingestão de aproximadamente uma unidade por dia, mas para as pessoas que possuem colesterol alto é importante controlar o seu consumo, principalmente na versão frita.
-Soja: Este é um alimento fonte de magnésio, o segundo mineral encontrando em abundância no organismo humano, o qual tem a função de proporcionar energia para as células do organismo, e quando há deficiência deste mineral, pode ocorrer falta de energia. Também auxilia na redução da fadiga, aumenta os níveis de energia, combate o estresse principalmente quando combinado com o cálcio.
-Folhas verdes: Estes tipos de alimentos contam com grande quantidade de folato, vitamina do complexo B que tem associação com a prevalência de sintomas depressivos. Onde encontrar este substância? Em hortaliças de folhas verdes escuras, como alface, brócolis, espinafre e outros. A sua ingestão indicada é de aproximadamente 3 a 5 porções diárias.
-Carboidratos complexos: Estes auxiliam o organismo na absorção do triptofano, o qual estimula a produção de serotonina. É possível encontra-lo em pães, no trigo, no arroz, em massas em geral, e outros alimentos. Sua ingestão recomendada é de aproximadamente 9 refeições diários, no máximo.

Saiba mais sobre saúde:

Publicado por Maikon
Revisado em 25/02/2016

Compartilhar

Comentar com Facebook

Receba novidades

Comentar