Tosse de cachorro em humanos

A tosse de cachorro é uma doença cujos sintomas podem assustar, mas de baixa gravidade quando se realiza o tratamento corretamente.

Menina deitada com tosseA laringite estridulosa, sufocante ou sub glótica, conhecida popularmente como “tosse de cachorro” ou falso crupe, é uma inflamação na laringe e nas cordas vocais que faz com que aumente a produção de saliva e os músculos inflamem e obstruam as vias respiratórias, prejudicando a passagem do ar. Conforme a pessoa tosse, emite um ruído semelhante ao de um latido, como um ronco agudo, chamado estridor, e pode ter um pouco de falta de ar.

A “tosse de cachorro” ocorre geralmente no Outono e Inverno, à noite e de forma súbita, sem qualquer febre que possa indicar previamente. É mais comum em crianças na primeira infância, de até três anos de idade.

Tosse de cachorro causas

Há diversas causas para a “tosse de cachorro”, como alergias respiratórias, infecções de vias aéreas superiores, aumento das adenoides e refluxo gastroesofágico. No entanto, a mais comum é o contato com os vírus Influenza, Parainfluenza, Adenovírus ou Vírus Sincicial respiratório. O tratamento em qualquer dos casos é um só.

Menina com tosse

Tosse de cachorro como tratar

A “tosse de cachorro” é uma doença fácil de ser diagnosticada pelo médico, podendo ser detectada apenas pela descrição dos sintomas e dispensando a realização de exames. Apesar de assustar, não é grave. Para o tratamento recomenda-se que a pessoa descanse a voz, eleve a cabeça e faça compressas de cebola quentes – mas não muito – para aplicar nas costas ou no tórax.

Mae cuidando de crianca doente

A medida mais eficiente, porém, é a nebulização, ou seja, respirar bastante vapor, ligando o chuveiro quente e fechando-se no banheiro, por exemplo. Algumas gotas de gengibre pingadas na água também ajudam – só não se pode usar óleos de mentol ou cânfora, para não irritar ainda mais os tecidos e prejudicar o tratamento Analgésicos são utilizados apenas se a “tosse de cachorro” vier acompanhada de outras complicações.

O incômodo geralmente não dura mais do que uma semana e, conforme se aproxima de seu término, é normal que se tenha vômitos. Se os sintomas persistirem, convém conversar com o médico para analisar melhor a situação. Os pais devem tentar acalmar a criança, dizendo-lhe que a “tosse de cachorro” logo vai passar e fazendo com que descanse bem: manter a calma é essencial para o tratamento.

Assista ao vídeo explicativo sobre "tosse" e aprenda a tratá-la em diversos casos.

Leia mais sobre tosse

Publicado por Luane
Revisado em 11/09/2017

Compartilhar

Comentar com Facebook

Receba novidades

Comentar